Já teve a impressão que as soluções de marketing da empresa não são suficientes para deixar o público contente? Talvez seja necessário pensar em um reposicionamento de marca, não é mesmo?

Ao desenvolver um planejamento estratégico de comunicação e marketing, você deve ter em mente que nem sempre o que é idealizado agradará a todo mundo. Por isso, vale a pena reconsiderar algumas táticas e verificar o que é melhor naquele momento e com os recursos que dispõe.

Sendo assim, para que se atualize e consiga deixar uma percepção melhor em relação à marca, veja abaixo um miniguia com o que há de mais relevante em matéria de rebranding. Acompanhe a leitura e confira!

Afinal, o que é o reposicionamento da marca?

Uns tempos atrás, a empresa Telefônica fechou um acordo com a Vivo e se apropriou do nome da antiga rival e de seus procedimentos para melhorar sua imagem diante do mercado de telecomunicação. Por mais simples que seja, essa pequena mudança fez com que o público-alvo reconsiderasse a impressão que tinha e, assim, a Vivo se posicionou como excelência em qualidade.

Exemplos como esse acontecem sempre no mundo dos negócios, pois há certos momentos em que é preciso fazer um Mea culpa e mudar a estratégia. Basicamente, o rebranding ou reposicionamento da marca corresponde ao desenvolvimento de uma nova identidade, fazendo com que os clientes tenham uma percepção diferenciada sobre o produto ou serviço.

Quais são as principais vantagens?

A desconstrução da marca, se bem-feita, pode proporcionar diversos benefícios para as organizações, pois será uma maneira de se atualizar às tendências de marketing e aumentar a possibilidade de ter uma fatia vantajosa de mercado. A seguir, veja o que mais contribui para o reposicionamento dar certo.

Influencia no poder de compra

Dentro da jornada de compra do usuário, vários fatores podem colaborar para que uma pessoa faça a aquisição ou não de um produto. No entanto, com um bom reposicionamento de marca é possível atrair a atenção dos leads e deixar esse caminho mais linear, a fim de visualizarem todo o potencial da marca.

Proporciona uma melhoria na conexão com o público

Quaisquer ruídos na comunicação entre a empresa e os possíveis consumidores podem impactar na performance do negócio. Por isso, a mudança de paradigmas e adequação ao atual cenário faz com que o relacionamento com os clientes seja melhor e, consequentemente, desenvolva uma boa experiência de marca.

Reforça a identidade visual

A identidade visual não diz respeito apenas a um logotipo bonito ou letras fantásticas no site, mas sim a um contexto por trás de todos os símbolos que norteiam a marca. O reposicionamento faz com que esse ativo intangível possa ter notoriedade com o tempo e ser reconhecido nas mais variadas oportunidades.

Passa credibilidade ao mercado

Você deve saber bem que uma marca não se torna um ícone de mercado da noite para o dia. Afinal, é preciso ter um trabalho contínuo para fortalecer o seu papel no nicho que atua. Mostrar ao público que a empresa está mudando e se requalificando deixa a impressão de credibilidade e a confiança se torna latente ao decorrer do tempo.

Reduz os índices negativos

Se o simples reposicionamento da marca faz com que haja maior engajamento com o público, naturalmente as vendas acompanham esse ritmo. Quanto maior o aprimoramento dos processos organizacionais, a tendência é que a empresa tenha mais receita e possa, inclusive, aumentar os preços, pois será reconhecida como autoridade de mercado.

Que sinais representam a necessidade de rebranding?

Todavia, embora as vantagens de aplicar o rebranding sejam conhecidas, torna-se primordial ter um feeling para efetuar as respectivas mudanças, senão você pode exceder nas estratégias e o tiro sair pela culatra. Para tanto, trouxemos 5 sinais que precisa perceber se quiser acertar em cheio no reposicionamento.

1. Queda nas vendas

O prejuízo nas receitas faz com que um verdadeiro efeito dominó ocorra nos setores da empresa, pois os resultados ruins impactam na produtividade, na motivação dos funcionários e no impulsionamento da marca. Quando as vendas apresentarem um declínio assombroso, analise a fundo o que está acontecendo e como será possível retomar as rédeas da situação.

2. Competitividade de mercado

A entrada de novos competidores e a alteração no poder de barganha pode influenciar bastante na forma como a empresa é vista no nicho atuante. Para manter-se à frente da concorrência é preciso verificar o que eles fazem de diferente e, com isso, remodelar as estratégias a fim de deixar os produtos ou serviços ao gosto do cliente.

3. Modificação no comportamento dos consumidores

Se pegar como parâmetro as últimas décadas, em que a democratização da informação por meio da internet se tornou um fato, perceberá que o perfil dos consumidores mudou significativamente. Eles estão mais exigentes e, se a empresa não obtiver um bom relacionamento com o público, a tendência é que a marca se torne obsoleta com o passar dos anos.

4. Conotação negativa do negócio

Às vezes surgem ideias que parecem deslumbrantes de início, mas, quando colocadas em prática, o arrependimento impera, sem sombra de dúvidas. Quando o seu negócio não acerta na linguagem, nas características do produto ou não atende as dores do público-alvo, então é melhor reposicionar as estratégias para suprir isso.

5. Processo de aquisição ou fusão de empresas

O cenário econômico, seja ele nacional, seja internacional, muda constantemente e os acertos comerciais são absolutamente comuns no meio corporativo. As fusões e aquisições são o ponto de partida para uma remodelagem da marca, visto que os gestores pretendem revigorar as energias do negócio e, com isso, alcançar melhores resultados financeiros.

Qual a importância do monitoramento de marca?

Ao pensar na importância do rebranding para favorecer seu negócio, você deve levar em conta que o monitoramento das ações é primordial. Sem a mensuração do que está sendo feito, é como se andasse no escuro e não percebesse as possíveis ameaças que surgem diariamente.

Dentro do sistema organizacional é preciso acompanhar as entradas de informação, processar as ideias para constituir novas soluções e reparar possíveis falhas na saída. Essa engrenagem deve funcionar continuamente, pois permite que você se antecipe aos problemas e ofereça algo inovador e coerente com a fatia de mercado que representa.

Portanto, verifique o andamento das estratégias, a forma como se comunica com os clientes, o que os concorrentes fazem de novo e, principalmente, conte com a expertise de profissionais que têm a capacidade de realizar um bom rebranding.

Gostou deste artigo a respeito do reposicionamento de marca? Quer ter acesso aos nossos conteúdos antes de todo mundo? Então, inscreva-se na nossa newsletter e fique por dentro das novidades. Até a próxima!